quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Reflexão sobre o Seminário Luso-Americano

Fui assistir ao 2º Seminário Luso-Americano, que decorreu no dia 10 de Novembro, na minha faculdade, e que tinha publicitado no blog. Ainda não o tinha comentado, por isso, aqui estou, para vos contar como correu...

Bom, em primeiro lugar, a avaliar pelos temas que iriam ser apresentados, pensava que iriam estar diferentes profissionais, portugueses e americanos, mas, infelizmente, só estavam 3 oradores: um pai de uma criança com Paralisia Cerebral (PC), que deixou a sua profissão para abrir um centro, na Flórida, que se chama Therapies4Kids; a terapeuta da fala e o médico que colaboram neste centro.

A terapeuta da fala foi a primeira a discursar, contudo, e apesar de saber que a esmagadora maioria dos presentes eram alunos de terapia da fala, terapeutas da fala, fisioterapeutas e alunos de fisioterapia, e que não existiam pais de crianças com algum tipo de situação clínica na sala, não adequou o seu discurso a esta plateia, tendo ficado pelo superficial e não abordando, na realidade, os temas que estavam no programa.

Para além disso e, talvez por ter conhecido, durante este período em Portugal, os "terapeutas menos indicados", tinha uma ideia errada da terapia da fala no nosso país, tendo sido no debate esclarecida por vários terapeutas da fala que aqui também se trabalha em equipa e que a formação das escolas é bastante boa! Penso que alguns terapeutas da fala consideraram o discurso da oradora um pouco provocador e que punha em causa o trabalho que é desenvolvido em Portugal.

Seguidamente, o dono do centro, discursou sobre as terapias que lá efectuam: a terapia intensiva, o PediaSuit e a câmara hiperbárica. A informação, mais uma vez e, tendo em conta que estava a falar para futuros terapeutas e terapeutas já formados, não foi para além do muito, muito superficial! Estamos na "era" da evidência científica, não basta apresentar as terapias e dizer que é bom e que faz bem, para que se avance é preciso estudos que comprovem a sua eficácia, e era algo que não tinham.

Se muitos dos que estavam presentes foram assistir ao seminário sobretudo para obter informação sobre a câmara hiperbárica e qual a sua mais valia, infelizmente sairam a saber o mesmo...

Para terminar, o médico apresentou a sua teoria relativamente à causa de todas as patologias, que, segundo este, estam associadas a isquémia. Assim, dava como solução que bebessemos uns cristais dissolvidos em água (criados por este médico e que vinham dentro de umas caixas), para manter as cargas dos glóbulos vermelhos e não levar a obstrução dos vasos arteriais.

Bom, o debate foi aceso ao ponto da pessoa que tinha organizado o referido seminário se ter desculpado perante os presentes, pois admitia que a informação não tinha sido transmitida da melhor forma e com pouco rigor científico.

Saí um pouco desiludida, tendo em conta que até faltei ao trabalho para ir assistir a este seminário...no entanto, fiquei com vontade de realmente conhecer o centro e perceber como lá se trabalha... talvez tire umas férias para ir à Flórida :)

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

As Pequenas Vitórias...

Há quase um ano que acompanho a P., uma jovem com Artrite Reumatóide. Quando iniciou a intervenção, apresentava graves limitações nas diferentes actividades da vida diária. Com grande persistência e empenho da sua parte, tem evoluido bastante, conseguindo, neste momento, realizar actividades que há muito não era capaz!

Numa das sessões, durante um exercício que lhe tinha proposto, a P. começou a rir... Perguntei-lhe porque ria? a resposta foi: "Não imagina há quanto tempo não me conseguia espreguiçar!" Estava radiante com tal vitória!

O quê? Espreguiçar? pensei eu! não estava mesmo nada à espera daquela resposta, no entanto, fez-me pensar sobre o assunto.

Concluí que, às vezes, não damos a devida importância às pequenas coisas, como o espreguiçar. Quem é que já tentou contar quantas vezes se espreguiça por dia, ou pensou porque é que se espreguiça diariamente?

Aqui ficam estas questões para reflectir...

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Equipa Transdisciplinar

Na segunda-feira, dia 2 de Novembro, estive presente na reunião de equipa do meu aluno A., por convite da mãe. A reunião decorreu no jardim de infância que o A. frequenta, com a equipa que o acompanha na Fundação Liga (terapeuta ocupacional, terapeuta da fala e fisioterapeuta), a educadora da sala, a nova educadora do ensino especial (que o viu pela primeira vez) e eu!

Não podia deixar de referir a importância destas reuniões e da presença de todos os terapeutas/técnicos que trabalham com a criança, pois, só assim, poderemos alcançar os objectivos propostos e maximizarmos os resultados da intervenção.

Acredito nas Equipas Transdisciplinares e não creio que sejam apenas Utopia! Já existem alguns locais/instituições a trabalhar desta forma, mas temos todos (técnicos/terapeutas) que dar o nosso contributo para que passe a ser uma realidade em todos os locais em que trabalhamos!

O modelo de equipa transdisciplinar contém os seguintes princípios:
  1. a constituição da equipa está baseada nas necessidades da criança;
  2. os técnicos da equipa trocam competências entre si e aprendem uns com os outros;
  3. a responsabilidade é acrescida ao modelo através de encontros entre a equipa e a formação e cruzamento de competências.
AO TRABALHO...!

domingo, 25 de outubro de 2009

JP e JM

No inicio do mês de Outubro, o JP "ganhou" um companheiro nas suas sessões, o JM. Tem sido muito interessante observar a relação de amizade dos 2 e os carinhos que trocam. Só para dar um exemplo: ontem tentei iniciar a aula com os 2 sentados nas escadas mas desisti pois só se queriam abraçar e dar beijinhos um ao outro. Foi simplesmente delicioso!

O JP tem se portado muito bem! Sinto que está feliz com a presença do amigo e que gosta de lhe mostrar o que já consegue fazer...

O JM, tal como o JP, tem um sorriso maravilhoso! São mesmo parecidos estes meus 2 alunos...

Ontem o JM realizou o seu primeiro mergulho. Gostou tanto que pediu para repetir... no segundo ou terceiro (já não me lembro muito bem), realizou um mergulho de média profundidade com a minha ajuda. A excitação era tal que até ouvi a gargalhada dele dentro de água. Foi DEMAIS!

Beijinhos aos 2 e às respectivas mamãs

Até Sábado

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

2º Seminário Luso-Americano

Este Seminário irá realizar-se na minha faculdade. Parece ser bastante interessante e é Grátis! Para proceder à inscrição, basta enviar um mail para ritambatista@gmail.com

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O Regresso do JP

O JP é um dos meus alunos mais antigos... a história do nosso encontro foi descrita pela sua mãe no blog Grilices há uns dias atrás, para quem quiser ir espreitar...

Quando saí da piscina onde trabalhava anteriormente e onde iniciei a intervenção com o JP, fiquei muito feliz por terem decidido continuar comigo... foi um voto de confiança e de amizade, algo que nunca vou esquecer e que aproveito, mais uma vez, para agradecer!

Ao longo destes 4 anos de intervenção, o JP evoluiu muito... não só a nível cognitivo, onde se destaca por já apresentar competências acima da média para a sua idade, mas também a nível motor (e.g. começou a sentar-se por breves períodos no cais da piscina, sendo que os períodos estão cada vez mais longos).

Fizemos uma pausa nas sessões durante o período em que o JP esteve em Cuba. 6 meses depois, reencontrámo-nos este sábado para a primeira sessão deste novo ano lectivo. Foi tão bom ver o sorriso do JP quando me viu... Está tão crescido, especialmente quando comparando com fotografias que tenho dele quando era pequenino...

Continua a adorar os mergulhos, dizendo MAIS cada vez que terminávamos um. Perguntei-lhe se abria os olhos debaixo de água, respondeu-me que SIM com um sorriso... Que saudades que eu tinha daquele sorriso, mas também das gargalhadas durante o jacto de hidromassagem...


video

Um dos MUITOS mergulhos do JP

10 de Setembro - O Meu Aniversário

NÃO, o meu objectivo não é que me dêem os Parabéns atrasados, mas sim contar algo que aconteceu nesse dia e que me deixou de lágrima no olho...

Estava na piscina, a preparar-me para mais uma sessão, quando uma colega me chama. Quando me aproximo vejo um senhor à minha frente com uma cesta de flores lindíssima e diz: "São para si!" Bem, nem queria acreditar!

Sabia que não podiam ser do meu marido pois não estava em Portugal, mas nunca adivinharia de quem era. Quando li no cartão: do Afonsinho, fiquei sem palavras... chorei mas de alegria, por aquele gesto de amizade da mãe de mais um dos "meus" meninos!

OBRIGADA à mamã do Afonsinho mas também às mamãs dos meus outros alunos por me terem ligado a dar os Parabéns, não sabem como esse gesto foi importante para mim!

Sou uma previlegiada por vos ter na minha VIDA!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Inês

A minha primeira aluna...

Tinha o tórax deformado, alteração anatómica que "miraculosamente" desapareceu graças às sessões de psicomotricidade no meio aquático, e um atraso no desenvolvimento, principalmente a nível motor.

Lembro-me das primeiras sessões, em que tinha receio, pois não sabia como havia de lhe pegar, tinha medo de a magoar, e o que fazer para reverter a deformação. Trabalhei em equipa com a médica de medicina física e reabilitação e, ao longo de 3 anos, a Inês evoluiu, mas eu também... Aprendi muito!

Há pouco tempo dei-lhe alta... está crescida a "minha" Inês! Já está numa aula de natação, com outras crianças da mesma idade, e é a melhor da classe! E eu, claro, estou muito orgulhosa!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Psicomotricidade no Meio Aquático e Natação Adaptada

A água permite realizar movimentos incríveis que, se fossem realizados fora deste meio, poucas pessoas os fariam!

Entrar na água é uma experiência única que fornece a todos a oportunidade de ampliar fisica, mental e psicologicamente as suas capacidades e conhecimentos.

Deste modo, a Psicomotricidade no Meio Aquático e a Natação Adaptada surgem, cada vez mais, como um complemento às terapias tradicionais, pois pretendem alcançar a reabilitação motora, funcional, emocional e social do indivíduo, através de um ambiente lúdico, que respeita a individualidade e permite a iniciativa e a independência.

Carnaval 08

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

O que é a Psicomotricidade?

A Psicomotricidade pode ser definida como o campo transdisciplinar que estuda e investiga as relações e as influências recíprocas e sistémicas entre o psiquismo e a motricidade.

Baseada numa visão holística do ser humano, a psicomotricidade encara de forma integrada as funções cognitivas, sócio-emocionais, simbólicas, psicolinguísticas e motoras, promovendo a capacidade de ser e agir num contexto psicossocial.


citado em Associação Portuguesa de Psicomotricidade
www.appsicomotricidade.org

Época 2009-2010

A nova época já começou e já estou de volta ao trabalho, mas ainda a meio gás porque alguns alunos continuam de férias...

A cada inicio de época relembro quando comecei a trabalhar, já lá vão 3 anos... os meus receios, as minhas dúvidas, as primeiras alegrias e, principalmente, os primeiros alunos, alguns que se mantêm até hoje!

Obrigada a todos os meus alunos, a todos sem excepção, aprendi e aprendo muito com todos vós, são uma lição de vida para mim e sinto-me muito feliz por vos ter na minha vida!